O ORÁCULO DO PERICUMÃ

By , 3 May, 2021 11:58 am
O que era o Oráculo de Delfos? | Super

Conheci Sarney quando tinha seis anos de idade .

Foi numa reunião política na nossa casa em São Luís. Ele já era amigo de meu tio, meu pai e minha mãe. A reunião foi no jardim de nossa casa, no bairro do “Filipinho”. A pessoa mais fascinante daquela reunião política da qual nasceu as “Oposições Coligadas” era uma mulher. Gorda para os padrões de hoje e da época, 1954, sem que o peso evitasse o fascínio que aquela mulher exerceu sobre mim. Braços cheios de pulseiras. De ouro. E eu conhecia ouro porque todos nós tinhamos pulseira desse metal mortal. Mas uma pulseira, particularmente, me impactava. Era uma corrente de aproximadamente um dedo de largura, cheia de berloques – todos de ouro -que ela balançava semnpre para dar ênfase às palavras. E, entre os berloques, um deles faiscava e piscava para os meus olhos. Era um berloque chamado “mina”. Cravejado com pedras preciosas de diferentes cores. (Pensando bem, o vírus Corona parece com esse berloque).

Naquele dia, Sarney, meu tio, Neiva Moreira, meu pai, Geraldo Moreira, o deputado Henrique de LaRocque Almeida, além de dois oficiais do Exército, dos quais não me lembro o nome, além da fascinante mulher, a condessa Pereira Carneiro, dona do “Jornal do Brasil”, conspiravam contra Assis Chateaubriand. dono dos Diários Associados e candidato a senador pelo Maranhgão. Lançariam um candidato contra Chatô, que tinha apoio do Diabo. E o Diabo se chamava Vitorino Freire.

O tempo passou, perdemos aquelas eleições, tio Moreira e Sarney viraram deputados federais, meu pai ficou cuidando do “Jornal do Povo”, nosso jornal que foi fechado em abril de 64. E veio o golpe, Sarney crescendo. E as notícias de tortura. E Sarney crescendo. E veio a anistia. Sarney já comandava. E veio 84, a campanha das diretas, Sarney quieto, apoiando á distância com seus filhos engajados na “Diretas Já”. E veio a a chapa Tancredo-Sarney.

Bom, chega de historiar.

Fui testemunha privilegiada de todos esses acontecimentos porque nunca nos desligamos de Sarney, embora fôssemos ferrenhos adversários políticos. Sarney ajudou, com dinheiro do próprio bolso, a fuga de grandes companheiros que de tarde eram condenados pelo Tribunal Militar e de noite íamos à casa de Sarney, e ele dava grana para o camarada fugir. Tudo na surdina, na clandestinidade. Então, digam o que disserem, verdades ou não, pouco me importa. Continuo mantendo por ele a admiração que mantenho por quem salva vidas.

E “Zé meu filho”, como dizia o Sarney original, o pai do presidente, virou presidente da República. Conhecia tudo, os pecadilhos de cada um, a lealdade de muitos, o oportunismo da maioria e o cheiro daqueles que o trairiam a qualquer momento. Politicamente, um sábio, pessoalmente uma pessoa afável e, acima de tudo um intelectual sem academicismos.

Nos últimos 40 anos de minha vida assisti, em todos os momentos decisivos, a peregrinação de políticos, da direita à esquerda, trilharem o caminho de São José do Pericumã, uma chácara nos arredores de Brasília onde, aos 94 anos, Sarney repousa, pinta seus quadros, recebe amigos, toma Guarana Jesus e conversa. Em 2002 o caminho da chácara foi pisado e repisado não só por Lula, mas também pelo estrategista daquela campanha, o então deputdo José Dirceu. Dirceu é estrategista e sabe reconhecer um.

Foi uma aliança sem alardes, sem fotos. Eficaz. Vitoriosa.E hoje cheguei à conclusão de que Sarney é, de fato o #oráculo. O “Oráculo do Pericumã”.

Até Bolsonaro, esse ser desprezível foi lá consultar Sarney. Bolsonaro odeia Sarney mais do que odeia Lula. Mas foi lá. Fez o “Caminho d Pericumã” Ou seja, apertou o botão “pânico”. Sarney mantém um certo desprezo em relação a Bolsonaro que foi lá pedir pelo amor de Deus que o sábio use seus poderes para tirar a faca da boca de Renan Calheiros. Ahhhhhhhhh. riu a bruxa Meméia. Ele apenas deu munição a Sarney e Renan. Ahhhhhhhhhh. Riu novamente a bruxa Meméia.

Não me surpreende a ida de Lula ao Pericumã. Não é a primeira, nem a segunda visita. Mas vai sim me surpreender se for verdadeira a notícia de que Lula foi oferecer vaga para vice-presidência numa possível chapa do PT. Errar uma vez com Temer é admissível. Errar duas com Alckmin só me leva à certeza de que essa oposição já nasce com data marcada para novas crises estilo 2013/2016…2018.

Pragmatismo tem preço Preço alto pelo qual pagamos com vidas que se perdem nas estatísticas escabrosas.’

Lula, chega de costear o alambrado.

*Aquela reunião marcou também minha primeira grande ousadia. Aproveiteo a distração dos adultos, peguei as chaves do carro e sai dirigindo a nossa caminhonete Rural Willis azul e branca. A condessa me salvou de qualquer castogo dizeno, “não briguem comn ela. Essa criança é curiosa”.

Panorama Theme by Themocracy