BRASIL NA PORTA DOS FUNDOS DA GUERRA HÍBRIDA

By , 6 August, 2020 5:51 pm

Eu só queria saber saber porque o Brasil entrou nessa guerra híbrida EUA x China, sem armas e sem estratégia para o enfrentamento. Entrou pela porta dos fundos, uma tendência que se tornou hábito do governo atual.
Quatro meses depois de iniciar a escalada de agressões à China – que começou com Trump acusando os chineses de espalhar o vírus Corona pelo mundo – o presidente dos Estados Unidos fez, há duas semanas, um recuo estratégico dizendo que suas divergências com aquele gigante asiático não podiam interferir nas relações comerciais entre os dois países.
Obviamente, mandou seus cães de guarda atacarem. Estalou os dedos e pronto, Eduardo Bolsonaro, o não-embaixador em Washington, retomou seus espasmos em forma de declaração contra os chineses. Seu pai, se achou o máximo quando, ao falar da vacina contra o Covid, disse “aquele país”, para não citar a China. Oh, quão corajoso! Só faltou o galinho-de-briga bater no peito e cantar #coccoricô, enquanto balançava as perninhas de taquara.
Os chineses não fizeram declarações com sangue nos olhos, não espumaram ao falar o nome “Brasil” mas, agiram. Como sempre, pisando naqueles macios tapetes que eles tecem há milênios..
Ontem foram dois ataques frontais contra a economia brasileira (?). Cedo, a “Cofco International Ltd,” maior empresa de importações da China, aquele “povinho” que tem uma população de de 1,4 bilhão (dados de 2019) de pessoas, anunciou estar rastreando a origem da soja brasileira, com mapas das áreas devastadas do Cerrado e da Amazônia. Se a soja vier da terra arrasada, não compram.
Não houve, pelo menos publicamente, reação do governo brasileiro. Acho que dona Teresa Cristina, ministra da Agricultura deve ter alguma reação depois de calcular os prejuízos.
No começo da noite, novamente sem alardes, aquele pessoal lá do Leste da Ásia, sem disparar nenhum míssil, novamente nos jogou por terra. Anunciaram que também não vão comprar carne criado em terras devastadas da Amazônia.
Ou seja, além de cortar a cabeça da nossa economia, o governo chinês ainda vai sair bem na foto da militância ecológica. País que sequer assina acordos internacionais na defesa do planeta, que devastou milhões de hectares na Indonésia e em outros países, mandou o recado em forma de pressão econômica. Só faltaram estender uma faixa dizendo “Estamos fazendo fazendo nossa parte pelo clima”
Quanto aos Estados Unidos, vão bem obrigado. O comércio com os chineses não sofreu abalos. Trump está até ajudando Bill Gates a comprar a Tik-Tok.
E viverão felizes para sempre.

Panorama Theme by Themocracy